VINHOS

Compra de vinhos.

Se você quiser ter uma pequena noção sobre os VINHOS, você deve aprender um pouco sobre as classes e características destes, a fim de seguir certas diretrizes e adquirir aquelas que podemos gostar.

Existem diferentes tipos de vinho: vermelho, branco e rosa. Existem também diferentes dentro destes.

GUIAS

1 -Tipos e sabores para determinar o que você pode gostar:

VINHOS BRANCOS.

– Riesling: Vinho branco doce com sabores mais leves e frutados do que o chardonnay. Sua alta acidez vai bem com alimentos picantes.

– Chardonnay: muito popular vinho branco. É descrito como amanteigado, frutado, com toques de maçã e cítricos.

– Sauvignon Blanc: Vinho branco aromático com qualidades fortes e herbais. Também pode ter um leve sabor a fruta ácida.

VINHOS ROSA

-O Zinfandel branco: é o vinho rosé mais popular. É moderadamente doce e um pouco seco com toques de frutas cítricas e caramelo e é ligeiramente ácido. É melhor tomar frio.

VINHOS VERMELHOS.

– Merlot: Vinho tinto com toques de ameixa que tende a ser suave a partir do dia em que se abre. É popular por causa de seus sabores de chocolate subjacentes.

– Syrah ou Shiraz: Vinho tinto intenso, doce e picante.

– Cabernet Sauvignon: Vinho tinto mais profundo e mais intenso que um merlot. Às vezes tem um sabor de fruta e envelhece bem.

– Pinot Noir: Vinho tinto cujo sabor é frequentemente como frutos vermelhos (cerejas e morangos).

2 – Mantenha um REGISTRO dos vinhos comprados.

Se você mantém um registro dos vinhos que compramos, isso permite que você VEJA os VENTOS que você gostou e os que não gostaram, observando muito bem os aspectos que você gosta em cada um deles, a fim de catalogar o paladar de cada pessoa.

– Observe o tipo de vinho, a vinha, a localização da vinha, a data e as notas de prova de cada pessoa.

– Tome nota de sabor, cor e aroma. Responda a perguntas como: O vinho era doce ou azedo? Isso te lembrou de chocolate? Se fosse vermelho vivo ou vermelho escuro? Tem aroma de ervas ou frutado? Goste ou não, com uma classificação de: boa ou não gostei

ESCOLHER O PRODUTO.

1 – O PREÇO do vinho deve ser levado em conta,

mas não baseie a decisão apenas neste fator.

– É comum que o preço dos vinhos seja definido com base em fatores que não têm relação com o sabor.

-Vinhos de vinhas mais novas podem custar mais, mas não têm um sabor melhor.

-Uma garrafa de uma região tradicional de vinho pode custar mais do que uma garrafa de melhor sabor de uma região menos conhecida.

– Algumas vinícolas estabelecidas vendem seus vinhos com um rótulo diferente a um preço mais barato

2- A TAMPA DA LINHA.

Mais e mais produtores de vinho estão deixando de usar rolhas.

– Estas tampas podem evitar o “corking”, que é quando as rolhas naturais produzem um cheiro semelhante ao papelão molhado.

– Eles mantêm o vinho livre de bactérias e permitem que os vinhos abertos fiquem mais frescos por mais tempo.

Se você for comprar uma garrafa que será consumida várias vezes, a tampa de rosca é uma boa alternativa.

– Descarta a ideia de que esses vinhos (com tampas de rosca) não são bons.

3- A COLHEITA.

– Alguns vinhos melhoram com o tempo, mas muitos acabaram de envelhecer quando são engarrafados. Você tem que procurar o vinho mais fresco que puder, para garantir uma boa garrafa.

– Os vinhos rotulados ou classificados como “vinhos de qualidade” em uma loja de vinhos podem melhorar com o tempo. Você pode consultar um especialista, se você estiver procurando por um vinho de qualidade.

– Vinhos padrão são aqueles que podem ser comprados em um supermercado. Você tem que procurar a colheita mais recente, para evitar um vinho com rolha ou podre.

Estes podem ser encontrados na parte de trás da estante, como eles geralmente movem ações mais antigas para a frente.

4- O VINHO EMPARELHAMENTO:

O sabor do vinho pode mudar marcadamente de acordo com a comida com a qual ele é bebido. Por esta razão, você tem que comprar um vinho para combinar com ele, ou seja, eles se complementam, para que você obtenha os melhores sabores do vinho e ao mesmo tempo aprecie a comida.

Por exemplo:

– Vinhos doces, casar bem com alimentos salgados.

– Carnes brancas tendem a emparelhar melhor com os vinhos brancos.

Carnes vermelhas, com vinhos tintos.

– Os frutos do mar costumam se casar melhor com vinhos brancos leves, como no caso do peixe magro, embora haja alguns vinhos rosados ​​ou tintos, que são complementados com outros tipos de peixe.

– Alimentos doces são melhor complementados com vinhos brancos doces ou vinhos de sobremesa.

– Os vinhos Riesling e Gewürztraminer, marinam melhor com alimentos condimentados.

– Preparações de legumes, marinadas com vinhos brancos intensos e vinhos tintos suaves, como Chardonnay e Pinot Noir.

– O Syrahs envelhecer bem, é dito que se casar com carnes grelhadas.

-Se houver GRANDE VARIEDADE de sabores e opções de comida, você pode procurar um vinho equilibrado, que não tenha um sabor extremo.

Sauvignon blanc e Pinot noir são bons nesses casos.

Usos

Veja o emparelhamento E para preparações culinárias, como bolos ou ponques e pratos de vinho (que têm vinho em seus ingredientes).

O SERVIÇO DOS VINHOS.

Quando você compra um bom vinho, se você não sabe como servir adequadamente, você perde muito do seu valor.

Mas se, ao contrário, você compra um VINHO padrão e ele é servido corretamente, é uma excelente opção!

Neste você vê a grande importância do seu serviço.

ASPECTOS A CONSIDERAR NO SERVIÇO.

1 -COPAS: O copo correto deve ser usado para cada tipo de vinho.

– Os vinhos tintos, devem ser servidos em copos grandes com boca larga (cálices).

– Vinhos brancos em copos menores e fechados.

– Um terço da taça deve ser enchido, deixando espaço para o ar se encontrar com o vinho e liberar seus aromas na xícara.

2- TEMPERATURA: Mantenha o vinho na temperatura de serviço correta.

– Você tem que olhar as instruções nos rótulos da garrafa, para ver o que o fabricante do vinho recomenda. Se o frasco deve ser mantido frio ou se é preferencialmente deixado à temperatura ambiente.

– Os vinhos brancos, não é generalizado que eles devem ser resfriados. Nem todos os vinhos tintos devem estar à temperatura ambiente.

TEMPERATURAS DE SERVIÇO.

  • Champagne: Espumante feito com uvas da região de CHAMPAÑA (França). 6º a 8º C.
  • Espumantes secos, semi-doces e semi-secos: 4º a 6º C.
  • Vinho Claro, branco 6º a 8º C.
  • Aromático, Vinho Branco 8º a 10º C.
  • Doce, Vinho Branco 10º a 12º C.
  • Vinho Rosado 8º a 12º C.
  • Vinho Tinto 14º a 16º C.
  • Jovem, Vinho com corpo médio 16º a 18º C.
  • Reserva de Vinhos 17º a 18º C.

3 – AIREADO: É deixar alguns vinhos respirarem.

– Isso permite ao vinho o OXIGÊNIO, aspecto que ajuda a eliminar sabores ácidos ou indesejados.

Você pode derramar o vinho em um decanter ou um jarro de vidro de boca larga e deixe descansar por pelo menos uma hora antes de servir, para eliminar alguns sabores penetrantes.

DECANTER.

Os fatores acima podem NÃO afetar o sabor do vinho.

 Armazenamento

Para a preservação (prolongamento da “vida útil”) dos vinhos, certas normas devem ser levadas em conta para seu armazenamento.

1 – POSIÇÃO da garrafa: As garrafas devem ser armazenadas horizontalmente, para que o vinho permaneça em contato com a cortiça e permaneça úmido.

Isto não é necessário para vinhos com tampas de rosca ou tampas de plástico.

 2 – A TEMPERATURA

É muito importante evitar mudanças bruscas de temperatura nos vinhos.

O ideal deve ser entre 9-19 graus Celsius, para evitar uma possível proliferação da bactéria que faz com que o vinho se transforme em vinagre. Isso acontece em temperaturas entre 25-30 graus Celsius aproximadamente.

3 – MOVIMENTO da garrafa: A estabilidade de um vinho dentro de seu recipiente é de vital importância, por isso é aconselhável armazená-los em locais onde não estejam expostos a vibrações ou movimentos bruscos.

4 – LUZ: Tanto o artificial (halogênio ou fluorescente) quanto o natural e mais especificamente os raios ultravioleta do sol, são prejudiciais aos vinhos.

A coisa certa é o DARK (luz fraca ou incandescente de 200 – 280 Lumens aproximadamente).

5 – AR E HUMIDADE: Uma sala ventilada é conveniente para o armazenamento de vinhos, pois evita umidade excessiva, com seus odores e proliferação de cogumelos, afetando consideravelmente a qualidade dos vinhos.

 6- LA ESTIBA.

Para o armazenamento adequado de vinhos não deve ser escolhido lugares como:

– A COZINHA, devido ao calor produzido pelo fogão (fogão).

– Nem mesmo na GARAGE, devido aos gases tóxicos que emanam dos carros.

– Eles não devem ser mantidos perto de produtos da ASEO ou produtos químicos em geral, ou produtos como MATURE QUEESES ou qualquer alimento ou condimento com AROMAS FUERTES.

QUE VINHOS PODEM SER MANTIDOS?

  • VINHOS BRANCOS. Estes vinhos contêm poucos taninos e alta predisposição à oxidação, razão pela qual não são fabricados para serem armazenados por muito tempo.

-É recomendado consumo fresco do ano ou no máximo 2-3 anos desde a colheita, para que você possa apreciar a sua acidez que lhe dá uma característica refrescante.

-Se você teve uma fermentação em barris de carvalho, após esse tempo, a acidez gradualmente começa a desaparecer.

É melhor beber “jovens”, para que mantenham a elegância e a frescura.

  • VINHOS VERMELHOS. Ao passar algum tempo no barril e ter uma maior concentração de taninos, eles têm uma vida útil mais longa.

Em conclusão, os VINHOS DA GUARDA são pesados, feitos com este objetivo a partir da vinha, uma vez que alcança a concentração adequada que lhes permite durar ao longo do tempo, como Malbec, Cabernet Sauvignon, Syrah e Tannat, entre outros.

Outros fatores que permitem que um WINE permaneça em boas condições por vários anos dentro de uma garrafa e são:

– Nível de acidez e teor alcoólico.

Quanto maior a acidez e os níveis de álcool, maior a chance de o vinho permanecer em boas condições

CONSERVAÇÃO DO VINHO DEPOIS DE ABRIR.

Um bom vinho é usado muito bem, mantendo-o adequadamente após a abertura.

– Use a cortiça, tampa de rosca ou própria tampa, para selar a abertura da garrafa. Isso mantém os sabores selados dentro do vinho pelo maior tempo possível.

– Guarde o vinho numa posição vertical, de modo a que seja menor a quantidade de vinho que entra em contacto com o ar e no frigorífico, não à temperatura ambiente.

– Consumir o resto do vinho no espaço de 3-5 dias, para evitar que esteja danificado.

Dicas

Se vários tipos de vinho forem degustados na mesma sessão ou durante a mesma refeição, o paladar deve ser limpo entre cada vinho, evitando assim que o sabor do vinho anterior interfira com o do vinho seguinte.

  • LIMPEZA DO PALATO PARA GOSTO.

Com esta finalidade os seguintes alimentos especificam-se:

– Pão duro (Baguette) é amplamente utilizado como um limpador de paladar em degustação de vinhos para ajudar a absorver o sabor e o álcool.

– O queijo é perfeito para vinhos tintos, para eliminar os sabores dos taninos.

– Azeitonas, por causa do seu sabor salgado, podem ajudar a limpar os sabores doces do vinho.

– Água à temperatura ambiente, limpa o paladar sem a necessidade de comer.

  • ALGUM VOCABULÁRIO DE ENOLOGIA.

– Enologia (Def.): É a ciência técnica que estuda os vinhos e sua produção.

– “Degustar” um VINHO: É reconhecer suas qualidades e defeitos, graças a uma técnica que permite interpretar suas características organolépticas (por meio dos sentidos: visual, olfativa e gustativa) e expressá-lo através de um vocabulário preciso. ”

  • Um vinho na degustação pode ser avaliado da seguinte forma:

– “Amigável: bebendo facilmente.

– Harmoniosa: Isso não apresenta características discordantes.

– Aromático: Feito com variedades de um aroma particular.

– Adstringente: Sensação de secura devido aos taninos.

– Aveludado: Dotado de uma textura suave e agradável.

– Bouquet ou Bouquet: Termo geral para descrever o “nariz” do vinho, mas acima de tudo as características olfativas derivadas da vinificação, envelhecimento em barris ou envelhecimento em garrafa.

– Corpo: Imprima peso e consistência no paladar.

– Elegante: Com corrida, harmonioso e com ausência de impressões agressivas.

– Balanceado: Diz-se do vinho cujos componentes são “equilibrados”, de modo que nenhum se destaca sobre os outros.

– Final: Sabores e aromas que são prolongados depois de engolir o vinho.

– Frutado: Muitos vinhos têm as nuances olfativas de uma fruta específica (por exemplo, damasco, maçã, groselha ou cereja). Outros emitem uma agradável impressão geral de fruta.

– Generoso: Rico em álcool mas equilibrado.

– Fatty: De certa untuoso, cheio, harmonioso.

– Light: Vinho com pouco extrato e pouco álcool.

– Rodada: madura, pronta para beber.

– Tanino: Componente polifenólico presente na pele (peles) e sementes das uvas, que confere adstringência, carácter e corpo aos vinhos principalmente tintos.

Descrito (de pouco a muito) como: fino, polido, maduro, tipo, seco, rico, firme, duro, grosso, vegetal, áspero, adstringente “.

Nutrientes e propriedades

PARA PRECAUÇÃO E PARA NÃO LEVAR A RISCOS DESNECESSÁRIOS, É SUGERIDO QUE ANTES DE COMEÇAR A BEBER VINHO, BUSQUE COM O MÉDICO OU NUTRICIONISTA).

  • PROPRIEDADES BENÉFICAS DO VINHO, principalmente de VINHO TINTO.

Estudos têm mostrado que o CONSUMO MODERADO de VINHO TINTO e em uma base regular, pode:

– Evitar doenças coronárias e alguns tipos de câncer, como câncer de pele.

– Pode retardar ou prevenir doenças como Alzheimer e Parkinson e demência senil.

– É o único suplemento natural que ajuda as funções neurológicas do corpo.

– Impede derrames e derrames.

– É um tranqüilizante suave e natural, reduz a tensão e a ansiedade.

– Fornece energia e ajuda na digestão.

Os componentes químicos desse efeito preventivo são os flavonóides, relacionados aos taninos.

– As catequinas presentes no vinho são antioxidantes, que impedem que os “radicais livres” danifiquem as células e previnam a arteriosclerose.

– Existem compostos nas uvas e no vinho (especialmente no vinho tinto, suco de uva, cervejas escuras e chá), chamados resveratrol e quercetina.

– Eles estimulam o sistema imunológico e previnem a formação de alguns tipos de câncer, como o câncer de pele.

– Eles protegem contra doenças cardíacas e até prolongam a vida.

– O resveratrol do WINE, inibe a formação de uma proteína que produz uma doença chamada fibrose cardiovascular (que reduz a eficiência do bombeamento do coração, quando é mais necessário, em momentos de estresse).

– Dilata os vasos sanguíneos e evita angina e coágulos.

– Ajuda a equilibrar o colesterol.

– Reduz o risco de tumores colorretais.

– Estimula o apetite.

Muitos estudos em todo o mundo concluíram que a maioria das pessoas da SANE que bebem vinho REGULAR e MODERADA, vivem mais tempo.

A exceção para o consumo de vinho, são mulheres na pré-menopausa que tiveram câncer de mama na família.

  • Teor de nutrientes no vinho: é muito pouco. Varia de acordo com o tipo, cor, teor alcoólico e açúcar residual destes. Contém apenas pequenas quantidades de minerais e vitaminas, não contém gordura, colesterol ou fibras.

Os europeus em geral bebem vinho e água com as refeições, como ajuda na digestão.

A chave para os aspectos benéficos do consumo de vinho são REGULARIDADE e MODERAÇÃO.

OLHO! VINHO EXCESSIVO Consumir pode ser pior que TOTAL ABSTINÊNCIA.

Nota 

– Beba o vinho que você mais gosta, o que você mais gosta.

– Um vinho com alta classificação, não poderia se adaptar a um paladar e um vinho barato poderia se tornar o favorito.

– Você só tem que ter certeza que você goste!

Aviso: CONSUMO DE VINHO PROIBIDO, PARA MENORES!